domingo, maio 26, 2024
domingo, maio 26, 2024
Início Comportamento Cristão deve celebrar finados?

Mais Populares

Conheça 10 alimentos que ajudam a combater a prisão de vente

Se você está se sentindo constipado, estes 10 alimentos ajudam a combater a prisão de ventre e vão te livrar dessa dificuldade que tanto...

Cochilar durante o dia preserva a saúde do cérebro e previne contra demência

Achar um tempinho para cochilar durante o dia ajuda a manter a saúde do cérebro e ainda diminui o risco de demência. Uma pesquisa...

Maçã aumenta imunidade e reduz em até 20% Síndrome da Fragilidade em idosos

Uma maçã por dia é o suficiente para aumentar sua imunidade e diminuir os riscos da Síndrome da Fragilidade, doença que reduz a massa...

Banana faz bem para humor, sono e coração

A banana, fruta abundante no Brasil, é exaltada pela sabedoria popular e também por especialistas que vão além, mostrando uma lista imensa de benefícios...

Comentários Recentes

Cristão deve celebrar finados?

No dia 2 de novembro, na maior parte do mundo, celebra-se um dos mais importantes rituais religiosos: o dia dos finados, ou dia dos mortos. Conhecido também como “dia do fieis defuntos”. Essa tradição é praticada principalmente pela igreja católica. E tem como objetivo principal, relembrar a memória daqueles que já se foram, e rezar por suas almas.

A igreja tem uma importante missão em orientar os membros sobre como agir no Dia de Finados – (Foto: Freepik)

Estabelecido como feriado no Brasil em 2002 (Lei nº 10.607), o Dia de Finados é celebrado em todo o mundo sempre dia (02/11). Contudo, a tradição é antiga e remonta do século X, na Idade Média, como uma forma de homenagear os entes queridos que já morreram. Mas o crente em Jesus deve participar desse tipo de comemoração?

Antes, é importante entender a origem dessa data. No ano 998, o monge beneditino Odilo, abade de Cluny, em Borgonha (França), instituiu o 02 de novembro como uma forma de unificar as comemorações aos mortos, como por exemplo, o “Dia de todos os Santos” (1º de novembro). Todos que seguiam a Ordem Beneditina passaram a ter essa obrigatoriedade. Em Portugal, por exemplo, o feriado é no dia (01/11). 

A partir do século XII, a data se popularizou, e em 1915, o papa Bento XV permitiu que os sacerdotes celebrassem missas pelos mortos e, aos poucos, o costume ingressou na liturgia da igreja católica. Hoje, milhares de pessoas aproveitam a data para prestar homenagens aos queridos que já partiram.

Mas afinal, o cristão, o crente evangélico? Pode participar desse tipo de celebração? De acordo com o pastor batista Diego Bravin, a data não tem significado. “O cristão não deve celebrar a data como os católicos. A celebração do crente é pela vida através da morte de Jesus Cristo na cruz. Jesus passou pela morte e nos mostrou que há vida n’Ele e quem crê terá a vida eterna. Essa data de finados é um paganismo religioso. Mas o crente não deve celebrar essa data. A recomendação bíblica é para celebrar a vida e não a morte”, explicou.

Na opinião de outro pastor batista, Francisco Veloso, que também é psicanalista, a questão é a forma como o cristão, o crente vê essa data. Para ele, uma coisa é ir ao cemitério matar a saudade de alguém amado que se foi. Outra coisa bem diferente é fazer um culto aos mortos ou “rezar” para os falecidos. 

“Você não pode idolatrar o túmulo das pessoas. Mas pode, sim, visitar e cuidar do túmulo, principalmente, aqueles que são de família e que estão lá naquele lugar há tempos. É uma questão de respeito à memória. Na Bíblia há um exemplo, o de José no Egito, que antes de morrer deixou por escrito dizendo que quando o povo voltasse para sua terra, levasse os seus ossos (Gênesis 50:25). Cuidado e respeito sim, idolatria nunca”, ressalta Veloso.

O pastor lembra ainda que, com o passar do tempo, a tendência é que a dor do luto diminua e que as idas ao cemitério reduzam e até parem. Ficam a saudade e a esperança da vida eterna garantida pela ressurreição de Jesus. “O luto é uma ferida que abre na alma e na psique, mas depois de um tempo essa ferida se fecha, fica a cicatriz, a lembrança”, afirma.

Para o pastor Francisco, a igreja tem uma importante missão em orientar os membros sobre como agir no Dia de Finados, mas acima de tudo, é necessário agir com amor e compreensão com aqueles que ainda vivem o luto.

“A igreja deve orientar os membros sobre essa questão, pois também é sua responsabilidade educar. Nesse momento, a melhor forma de lidar com o luto é por meio da união, do amor, dos abraços e da oração. Quem perde um ente querido precisa exatamente desse suporte”, orienta.

 

Fonte: Comunhão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui